ADUFSJ

Diversidade cultural e desafios da atual conjuntura marcam início do 58º Conad

A importância da unidade e protagonismo dos docentes nas manifestações recentes que lutam contra as políticas de governo - que priorizam cada vez mais o capital e retiram os direitos dos trabalhadores - foi ressaltada nas falas de abertura do 58º Conad, iniciado na manhã desta quinta-feira (18), em Santa Maria (RS). O Conselho do Sindicato Nacional de 2013, que tem como tema central ANDES-SN: Sindicato de luta, ampliando a organização da categoria e a unidade classista dos trabalhadores - reúne mais de 150 docentes de todo o país -, que até o domingo (21) têm como desafio atualizar o plano de lutas do ANDES-SN, a partir da nova conjuntura, aprovado no 32º Congresso do ANDES-SN, realizado em março deste ano no Rio de Janeiro.
Apresentação cultural
Ao som de Cálice (Chico Buarque), Admirável Gado Novo (Zé Ramalho), O Mundo é um Moinho (Cartola), Fera Ferida (Maria Bethânia) e Peleia (Ultramen), o grupo Integração e Arte Cenário, da Faculdade Metodista, apresentou o espetáculo Vozes do Brasil, e emocionou os participantes na abertura do encontro. A apresentação foi encerrada com um convite para que todos cantassem juntos o hino da cidade de Santa Maria da Bocca do Monte, que acolhe o encontro até domingo.
De acordo com a coreógrafa do grupo, Aline Fernandez, o objetivo foi fazer uma apresentação que contemplasse todas as culturas brasileiras. “Quisemos representar os quatro cantos do país, com músicas e coreografias que mostrassem essa diversidade. Ficamos lisonjeados com o convite”, comentou.

Plenária
Após a instalação da mesa, o 1º secretário do ANDES-SN, Márcio de Oliveira, abriu a plenária prestando homenagem ao professor Edmundo Fernandes Dias, recentemente falecido, pelo muito que contribuiu na formação do Sindicato Nacional e sua atuação incansável na luta por transformação social. “Os que chegaram recentemente não sabem a imensidão do significado do Edmundo para este Sindicato. A vida dele foi marcada pela simplicidade, cultivada buscando realizar a plenitude de uma democracia verdadeira e a construção de um outro patamar de sociedade. Estamos fazendo uma homenagem simples como ele gostaria que fosse”, disse emocionado, antes de ler um texto sobre o professor. Ao final, os docentes aplaudiram Edmundo Dias de pé, reverenciando o que o docente representa à luta da categoria.
As manifestações que tomaram conta do Brasil nos últimos meses mostraram que a juventude e outros setores sociais estão dispostos a mudar o país trazendo para o primeiro plano temas que vinham sendo pautados há tempos pelo movimento sindical e popular, e a trajetória de luta marcante na história de Santa Maria, também presente nos protestos que clamam por justiça em relação à tragédia da boate Kiss que resultou na morte de 242 jovens da cidade também foram destacadas nas falas da abertura.
“Santa Maria está com ferida aberta, perdeu 242 jovens, mais de 100 estudantes da universidade. Nós sofremos e estamos lutando por justiça. Os docentes aqui nos dão força, nos dão mostra que no Brasil inteiro esta luta persiste e se amplia. A luta que travamos aqui em Santa Maria é a luta de todos, lutar por justiça aqui é lutar pelos movimentos sociais, sindicais e pelo futuro das nossas famílias”, afirmou o presidente da Sedufsm, Seção Sindical do ANDES-SN, Rondon de Castro. O professor ressaltou ainda o “esforço da Seção Sindical em proporcionar condições para o debate, para ser mais um evento que se caracterize pela democracia interna, que extrapole as paredes da universidade e influencie a sociedade”.

O 1º vice-presidente da Regional Rio Grande do Sul, Carlos Alberto Pires, falou sobre a contribuição dos novos docentes no 58ª do Conad. “A renovação misturada com a experiência vai ajudar muito para que possamos fazer boas análises para o tempo que virá e que exigirá muito do nosso sindicato”.

Em sua fala, o secretário-geral da Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap), Moacir Meireles, fez duras críticas ao governo e enfatizou a atuação da CSP-Conlutas na defesa dos direitos dos aposentados e pensionistas. “Trazemos nosso apoio para esta categoria tão sofrida como a dos aposentados e pensionistas e pedimos apoio também ao ANDES-SN para nossas questões”.
Para o representante do DCE da UFSM, Alex Monaiar, o tema central do Conad é oportuno pelo atual momento vivido pelo país, de mobilização nacional. “Nesse momento de analisar a conjuntura para pensar o processo de luta no próximo período, é importante levar em conta que por mais que se tiveram avanços, estamos chegando ao limite. É preciso pensar no que queremos para o Brasil”. Monaiar destacou ainda a parceria entre o Diretório e a Sedufsm nas lutas da cidade, em que o ANDES-SN também se faz presente.

“A homenagem ao Edmundo é uma homenagem ao Sindicato Nacional e a luta dos docentes desse país”, afirmou o representante da CSP-Conlutas, Atnágoras Lopes, no início da sua fala, que acrescentou: “A importância do Conad e da presença dos docentes nesta cidade têm que ser a importância do apoio aos familiares das vítimas e na luta por justiça. Há responsáveis por esta tragédia e não são só os bombeiros. Neste sentido, o Conad tem que ser o ponto de apoio. Do luto a luta, mas de Santa Maria para o Brasil e do Brasil e para o mundo”. Lopes ressaltou ainda o Dia Nacional de Luta, realizado em 11 de julho em todo o país, a Marcha do dia 24 de abril que reuniu em Brasília mais de 20 mil pessoas, e a importância de se colocar a classe trabalhadora em seu papel protagonista para mudar a realidade do país.
Ressaltando o protagonismo do ANDES-SN nas lutas da classe trabalhadora, o representante da CSP-Conlutas fez um chamado para que os delegados e observadores do 58º Conad  discutam e incorporem ao calendário de ações do Sindicato Nacional o novo dia nacional de paralisação chamado pelas centrais sindicais para 30 de agosto. “O Conad pode potencializar a participação dos docentes na construção desta grande greve geral que estamos convocando. Tenho certeza que o encontro cumprirá esse papel”, afirmou.

Para a presidente do ANDES-SN, Marinalva Oliveira, ao iniciar o 58º Conad, é importante considerar a conjuntura na qual o Conselho está se realizando, com grandes levantes da juventude que se mostra insatisfeita com a situação política do país. Marinalva falou sobre o início dos protestos e sobre as recentes mobilizações que contaram com a participação dos docentes, como a Marcha do dia 24 de abril, o dia 27 de junho e dia Nacional de Luta, em 11 de julho.

Sobre os motivos que levaram milhares às ruas, a presidente do ANDES-SN destacou a educação péssima, com um governo que investe pouco com a educação pública de qualidade e sustenta instituições particulares quase falidas que vendem ensino inferior à educação; o atual texto do PNE que privatiza a educação desde a creche ao ensino superior; a saúde, que está sendo privatizada sob a liderança dos convênios e desmonte do sistema público de saúde; a segurança inadequada; a polícia despreparada e truculenta, os governos permissivos com a corrupção, entre outros.
“É fundamental que os movimentos organizados cumpram seu papel neste momento. Não podemos em nenhum momento recuar da nossa responsabilidade organizativa e nem perder o tempo do momento, mas sem atropelar as nossas formas organizativas democráticas pela base. Precisamos da agilidade das Seções Sindicais em ampliar e fortalecer a participação dos docentes nas ações orientadas pelo Sindicato Nacional, pelo Espaço de Unidade e Ação e pela CSP-Conlutas, fortalecendo ainda a nossa Central, que desempenhou desde a sua fundação o papel em defesa dos trabalhadores. O desafio está posto, o povo está nas ruas, onde sempre estivemos. Vamos juntos”, afirmou a presidente do ANDES-SN, declarando aberto o 58º Conad.

Também saudaram a realização do 58º Conad e participaram da mesa de abertura: o reitor da UFSM, Felipe Martins Muller; Antônio Carlos Lemos, que representou o prefeito municipal de Santa Maria; Fioravante do Amaral, da Associação dos Servidores Técnico-Administrativos da UFSM; Luiz Felipe de Magalhães, membro da Comissão Nacional de Educação Jurídica da OAB, além do 1º secretário do ANDES-SN, Márcio de Oliveira e do 1º tesoureiro do Sindicato Nacional, Fausto Camargo Júnior.

Lançamentos
Durante a abertura, foi lançada a 52ª edição da Revista Universidade e Sociedade, e o livro em quadrinhos “As aventuras do indiozinho Bretã”.
Acompanhe a cobertura fotográfica do 58º Conad na página do ANDES-SN no facebook: www.facebook.com/andessn
Fonte: Andes-SN

Voltar

Conveniados

                             
                   
ml>